POR QUE O PORTAL ??

Este Blog retrata a difícil convivência com alguém que optou pelo caminho errado em busca do prazer da droga. Sofri sentindo os efeitos de uma doença tão perigosa quanto à dependência química: a Co-Dependência. Passei por muitos sofrimentos e vitórias. Por experiência própria vivida, sei exatamente quais os traços de comportamento, sinais da abstinência, como identificar um adicto por ter convivido tão de perto com este problema . Espero com isso poder levar ajuda a muita gente, transmitindo mais e mais informações sobre este assunto que em minha opinião é tão pouco divulgado.

NOVIDADE:


No menu acima acesse : "PROFISSIONAIS EM DEP. QUÍMICA" e tenha acesso a várias especialidades com todos seus contatos

"Saiba reconhecer alguns sinais do uso de drogas" - Rádio Estadão AM1290 - com Fabíola Pece

sexta-feira

Dúvidas comuns


 As drogas são um assunto bastante comum nos dias de hoje. Vira-e-mexe elas entram na sua vida, mesmo que você nunca as tenha consumido. Por isso, pensando em melhor informá-lo, elaboramos este guia, com perguntas e respostas sobre alguns problemas do uso de drogas dentro do seu dia-a-dia.
Qual a relação entre o uso de drogas e a Aids?
Há algumas coisas que precisam ser ditas. A Aids é transmitida pelo contato sexual ou pela troca de líquidos corporais, como o sangue e o sêmen. O uso de drogas injetáveis, com compartilhamento de seringas, proporciona um sério de risco de contaminação, não só pelo vírus HIV, como por outras doenças sexualmente transmissíveis (DST), como a hepatite B e C. Em nossa cultura, há uma grande associação entre o uso de drogas e a prática sexual. Muitas pessoas usam o álcool e outras drogas para se sentirem mais excitadas, desinibidas e relaxadas. Por outro lado, deixam de tomar precauções importantes para prevenir as DST (uso da camisinha) e acabam se contaminado... Por isso, ter sempre uma camisinha consigo e a convicção de nunca deixar de usá-la (aconteça o que acontecer!) é a melhor forma de evitar qualquer risco de contaminação.

NAMORO
Tudo bem namorar alguém que usa drogas?
O namoro é uma história construída a dois, capítulo por capítulo. Há coisas no outro que gostamos, outras que não nos incomodam e aquelas que não suportamos. O tempo todo estas coisas são colocadas na balança. Ninguém deve ser rejeitado apenas porque usa drogas. Muitas vezes, tal uso é eventual, não chega a atrapalhar a vida da pessoa e muito menos a impede de ser uma pessoa legal. Por outro lado, nenhum uso de droga é isento de riscos. Portanto, converse com ele para entender melhor a relação dele com a droga e diga a sua opinião. Você sabe como está o consumo dele (freqüência e quantidade)? Quando ele usa? Por que ele usa? Qual o prazer que ele tem com a droga? Qual o significado esta tem na vida dele?

Meu namorado(a) usa drogas. Como lidar com a situação? 
Converse abertamente com seu namorado(a) acerca de suas preocupações com o consumo dele(a). 
1. Chame-o à reflexão: veja qual a opinião dele(a) sobre isso e se já pensou em fazer alguma coisa sobre o assunto. 
2. Por ser seu namorado(a), você deve saber dos planos dele(a) para o futuro. Mostre como o uso da substância o(a) distancia disso.

3. Não vá armada para esta conversa, querendo "pegar no pé", ele pode se irritar e a conversa fica improdutiva. Lembre-se, seu objetivo não é confrontá-lo(a), mas motivá-lo(a) para a mudança.

4. Dê conselhos (não o(a) acusando ou dizendo coisas horríveis), diga que ele(a) deveria buscar uma ajuda.

5. De preferência, veja em sua cidade um ambulatório especializado em dependência. Caso seu namorado(a) queira buscar ajuda, você já terá um lugar para indicar. 
6. Em alguns casos, é legal também chamar outras pessoas, desde que você avise o seu namorado(a) que você vai fazer isso. Você pode levar amigos em comum para essa conversa. Se a situação estiver fugindo ao seu controle, você também pode envolver a família dele(a). Uma outra estratégia é chamar pessoas neutras: um amigo que ele(a) respeite, um tio que ele(a) goste, o padre, o pastor ou o rabino da comunidade, um especialista para vocês dois discutirem o assunto.

Como eu devo contar para família que meu namorado(a) usa drogas?
A intimidade e a cumplicidade são importantes no namoro. Há segredos que são só do casal. Quando um dos dois resolve contá-los a outras pessoas, o outro entende isso como traição e muitas vezes se afasta. Como o uso de drogas é envolto por muitos preconceitos e medos, acaba muitas vezes se tornando ‘um segredo do casal’. No entanto, a situação às vezes foge ao controle, vai ficando pesada, misturada com histórias de uso abusivo, perda do controle, violência, envolvimento com contravenções, além de outros. Enfim, não dá mais para ficar só na conversa. Torna-se necessário envolver outras pessoas, entre estas as famílias de ambos.

Em primeiro lugar, compartilhe com ele(a) a sua preocupação e diga que você acha que os pais dele(a) precisam saber. A melhor atitude nestes casos é incentivá-lo(a) a falar com os pais. Diga que você está do lado dele(a),que pode contar com a sua ajuda para esta conversa difícil e coloque-se ao lado dele para buscar ajuda. Se recusar, você pode achar que deve contar aos pais dele(a), mas antes de fazê-lo avise-o(a).
Muitas vezes, vocês não são ainda tão íntimos, a ponto de você falar diretamente com os pais. Procure então alguém de sua confiança e com quem já tenha intimidade (um primo, um tio, um irmão) para dividir a responsabilidade com você sobre o que seria melhor para seu namorado. Conte suas preocupações e os motivos que lhe levaram a contar o problema. Assim, você faz a sua parte e cria ao mesmo tempo condições para o sucesso do tratamento.
Gosto de um(a) garoto(a) mais acho que ele(a) usa drogas. O que fazer? 
Não nos interessamos só pela pessoa, mas também por seu estilo de vida, pelo seu jeito de ser. Se o fato da pessoa usar drogas te incomoda e deixa insegura, então não dá para se envolver com ele(a) de cara. O melhor é conhecê-lo(a) aos poucos, conversar bastante, encontrá-lo(a) na companhia de outros amigos e amigas, para depois pensar em momentos mais íntimos a dois. Nesse meio tempo, com certeza questões como o uso de álcool e drogas vão aparecer e vocês poderão conversar abertamente sobre o assunto. Só assim poderá tomar a melhor decisão.

Meu namorado(a) usa drogas, se transarmos os efeitos podem ser transmitidos?
Nenhum efeito farmacológico causado pelo uso de álcool e drogas pode ser transmitido sexualmente. De qualquer forma, vale ressaltar que independentemente do uso de drogas, as doenças sexualmente transmissíveis, a Aids e a gravidez indesejada devem ser uma preocupação constante de todos. A solução é simples: camisinha. E ponto final.

Meus amigos me contam que meu namorado (a) usa drogas, mas ele (a) fala que não, o que fazer? 
Nunca deixe o boato prevalecer. Se te disseram isso, pergunte a ele(a), diga que te contaram e deixe-o(a) falar. Não chegue acusando ou jogando na cara. Deixe sempre aberto o espaço para a reflexão e a conversa sem preconceitos. Muitas vezes a situação é obvia. Você mesmo percebe que ele (a) usa ou a "ficha cai" depois que te contam. Nesse caso, não faça rodeios: diga que você sabe, sua opinião sobre o assunto e peça a opinião dele(a). Mostre o quanto tal atitude pode afastá-lo de seus planos futuros, com risco até de perder você um dia. O segredo é não acusar, confrontar, bater de frente. Isso afasta vocês dois e a chance dele (a) refletir e pedir ajuda.

Devo contar para o meu namorado(a) que usei drogas? 
Apesar do assunto ser recheado de preconceitos esse não deve se tornar um segredo entre vocês. Dizer logo de cara pode parecer chocante. Mas conforme o relacionamento de vocês se torna mais íntimo, Você perceberá que não há mal nenhum em dizer que você já usou alguma droga na vida.

Beber para me aproximar de alguém faz mal? 
A humanidade consome álcool há milhares de anos. Um dos motivos deste consumo é justamente a socialização. As pessoas se sentem mais relaxadas, à vontade, prontas para se aproximar uns dos outros, ainda que só para conversar. No entanto, o álcool pode ser apenas um dos componentes desta aproximação e, geralmente, utilizado pelos mais tímidos. Se você só consegue se aproximar de alguém bebendo é sinal que não tem a liberdade de escolher (com ou sem álcool). Assim, é legal você trocar uma idéia sobre o assunto com pessoas de sua confiança ou mesmo pensar em uma ajuda especializada para entender melhor sua timidez. O álcool não é um remédio para timidez!

As drogas fazem com que tenhamos mais vontade de transar? Elas são afrodisíacas?
Os afrodisíacos são substâncias capazes de aumentar o desejo e realçar as experiências sexuais. Muitas drogas são consideradas afrodisíacas, pois em nossa cultura há uma forte associação entre o uso de drogas e o sexo. Pessoas sob o efeito de algumas drogas sentem-se mais dispostas ao relacionamento sexual. Mas será que uma droga é capaz de aumentar o desejo sexual por si só? Ela simplesmente libera desejos que possuímos e muitas vezes não sabemos como colocá-los em prática ou demonstrá-los por vergonha e medo.

MACONHA
Maconha causa dependência?
Apesar de possuir um potencial de dependência muito menor do que outras drogas, como a cocaína, a heroína, o tabaco ou o álcool, sabe-se hoje que o uso prolongado de maconha é capaz de causar dependência. Embora a maconha não provoque este sintoma em todos os usuários, muitos se tornam dependentes. Um dos primeiros sinais é o aumento do consumo porque a dose anterior não bate mais do mesmo jeito. Com o passar do tempo, sintomas de abstinência como insônia, ansiedade, piora da concentração, irritação e sinais de depressão podem aparecer.

O que acontece depois de fumar um "baseado"?
A maconha é um alucinógeno. Há vários fatores que influenciam seus efeitos, tais como a concentração de THC na planta, a sensibilidade aos efeitos e experiências prévias do usuário e o ambiente do consumo. Em geral, o uso é seguido por alterações nos sentidos (visão, audição, olfato), cognitivas (pensamento, memória e atenção) e de humor. Há alterações da noção de tempo e espaço e ilusões (distorções na percepção de objetos reais) visuais e auditivas. O humor pode variar de um estado eufórico (marcado por risos sem motivos, fala solta e sensação de bem-estar) à sintomas de mal-estar psíquico, como tristeza, sensação de pânico e perda do controle (medo de enlouquecer). O pensamento se lentifica e as associações de idéia ficam menos coerentes, tendendo à mudança de assunto ou à incapacidade de articular o pensamento com a mesma facilidade habitual. Há um aumento exagerado do apetite, voltado principalmente para o consumo de carboidratos ("larica").

Se o meu namorado é usuário de maconha e eu engravidar, meu filho nascerá com problemas?
O uso pesado de maconha por longos períodos pode diminuir a produção de espermatozóides, tornando o homem menos fértil e dificultando assim a fecundação. Se o homem parar de usar a droga, a quantidade de espermatozóides vai voltando ao normal.A dificuldade será então em engravidar uma mulher.

Até hoje não foi comprovado que o uso de maconha provoca alterações nos espermatozóides ou nos óvulos. Portanto, não há riscos do bebe nascer com problemas. Mas se a mulher grávida usar a droga, isto pode sim afetar a criança.
Maconha faz menos mal que cigarro?
Tanto a maconha como o cigarro produzem efeitos adversos, alguns diferentes e outros semelhantes. Ambos podem provocar distúrbios respiratórios como bronquite e potencialmente causar câncer de pulmão, boca, esôfago e estômago. Embora a nicotina tenha um maior poder de causar dependência do que o THC (substância psicoativa da maconha), as alterações cerebrais produzidas pela maconha são mais sérias do que as do cigarro. O uso continuado de maconha acarreta maiores riscos de incapacitação social, como perda de produtividade e conflitos interpessoais, podendo gerar dificuldades no trabalho, no estudo e nas relações familiares ou com amigos.

FAMÍLIA
 Será que devo contar para os meus pais que uso drogas?
Como você se sente ao contar isso para seus pais? Esta situação é muito difícil pois sentimos medo das reações de nossos pais, com medo de que eles se decepcionem, que fiquem muito preocupados ou que briguem muito e passem a controlar a nossa vida (com quem vai, aonde vai, que horas volta etc.). Por outro lado, você sabe que está fazendo algo que pode ser uma encrenca. Às vezes não conseguimos resolver nossos problemas sozinhos e precisamos da ajuda de alguém. Se você estiver se sentindo assim, procure uma pessoa de confiança – professor, tia, padrinho, pais e etc. Ele pode te dar umas boas dicas e auxiliá-lo a resolver essa questão.

Como contar para os meus pais que eu uso drogas?
Se você está pensando em contar para seus pais que usa drogas é sinal de que você confia neles, sente que precisa da ajuda deles ou QUER compartilhar este problema com alguém. Chame-os para uma conversa amigável e diga que precisa de ajuda. Talvez a primeira reação deles seja dura e severa. Afinal, eles são de carne e osso e podem ficar assustados e preocupados com você. Depois de passado este primeiro momento, procure em conjunto encontrar soluções para esta questão.


Meu irmão usa drogas. Como devo agir?
Esta é uma pergunta difícil. Por um lado você está preocupado com seu irmão e acha que seus pais são as pessoas mais indicadas para decidir e fazer alguma coisa. Por outro lado, você sabe que eles podem ficar muito preocupados, bravos e brigar com ele. Ele pede para você não contar para ninguém, e contar é então uma traição! 
Não existe uma reposta única para esta pergunta. Talvez o melhor a fazer seja procurar uma pessoa neutra (outro familiar, um professor,...), para que juntos pensem na melhor saída. Com isso não estamos dizendo que você não é capaz de tomar uma decisão, mas dividir responsabilidade pode ser muito mais reconfortante e tranqüilo do que agir sozinho.

Acho que meu irmão está usando drogas. O que devo fazer?
Não fique neste dilema! Para saber se seu irmão está usando drogas, o melhor caminho é ter uma boa conversa com ele e falar de suas desconfianças. Você já tentou? Lembre-se este é um momento de conversa, portanto, evite acusações e julgamentos. Se ele sentir confiança em você, certamente lhe dirá a verdade. Procure saber se ele realmente está usando; se estiver: que droga usa? quando e quanto ele usa? Veja se ele acha que precisa de ajuda? Tente evitar o interrogatório no qual seu irmão possa se sentir controlado e vigiado. Esta é uma situação delicada. Você está preocupado com seu irmão. Talvez o melhor a fazer seja procurar uma pessoa neutra (outro familiar, um professor,...), para que juntos pensem na melhor saída.

Fumo maconha algumas vezes com uns amigos e meus pais descobriram. Agora eles acham que sou uma viciada e preciso ser internada. O que eu faço?
Por falta de informação suficiente e pela ameaça que as drogas representam, muitas vezes, os pais se assustam e se sentem impotentes e desnorteados.

A procura por um psicólogo ou psiquiatra pode ser muito útil e importante. Seja sincera com ele, e se for um bom profissional, ele dirá qual a melhor conduta indicada para o seu caso. Se você não precisar ser internada, ele não fará isso.
Lembre-se que hoje em dia a internação é considerada uma parte do tratamento, e não é indicada para todas as situações. Os tratamentos bem sucedidos priorizam atendimento em ambulatório (geralmente, visitas semanais ao psicólogo e mensais ao médico).
O diagnóstico de dependência química não tem relação com o tempo ou quantidade de consumo, este é determinado por uma série de critério que avaliam a relação que a pessoa tem com a droga. Veja mais sobre isso na seção "dependência" do site.
Meus pais descobriram que uso drogas e não conseguimos ter uma conversar sobre isso. O que fazer?
Procurar um profissional especializado no assunto pode ser muito útil. Ele poderá conversar com seus pais, já que o diálogo entre vocês, no momento, está difícil. Ele poderá esclarecer ao seus pais sobre os diferentes padrões de uso das drogas (experimentação, uso ocasional, abusivo e dependência) e o que podem fazer com relação a este problema. Ao receber orientação e informação, eles certamente ficarão mais tranqüilos.

Sobre a dificuldade de diálogo com seus pais, seguem algumas dicas:
  • Vocês costumam conversar? Se vocês não têm este hábito, isto não vai acontecer de uma hora para outra. Procure alguém que te escute e que possa então conversar com eles para acalmá-los.
  • Deixe a poeira baixar. Dê um tempo para ela e, se possível, dê dicas para ajudá-la a tomar a melhor decisão com relação ao seu comportamento:
  • Vocês podem procurar um profissional de saúde para uma orientação.
  • Recomende o site e navegue nele com eles.
  • Vejam juntas alguns filmes sobre o tema ("Bicho de sete cabeças" e "Traffic", por exemplo)
  • Quando for possível, fale sobre seu consumo e assuma alguns compromissos que possam tranqüilizá-los (parar de usar a droga, por exemplo). Comprometa-se com aquilo que você realmente irá cumprir. Neste momento, é importante que vocês tenham uma relação de confiança!
  • Escreva uma carta. Se não dá para falar, eles podem ler!
DROGAS NO GERAL
Todo mundo que usa drogas é dependente?
Existem diferentes formas de consumo de drogas, desde o primeiro contato até a dependência:

Experimentação: caracteriza-se pelo primeiro uso de drogas. Isso acontece por curiosidade, para parecer mais velho, menos tímido ou para ser amigo de uma galera, por exemplo. Geralmente, a experimentação acontece na adolescência, antes dos 18 anos de idade, consumindo álcool ou tabaco.
Uso ocasional: pode ser, por exemplo, beber uma ou duas latinhas de cerveja na casa de uns amigos ou em uma festa ou em alguns finais de semana. É então, um consumo de drogas moderado sem alteração da rotina (trabalho, escola, família e etc...). Atenção! Mesmo usando uma droga de vez em quando, você pode se colocar situações de riscos: fumar maconha, dirigir e ter um acidente, por exemplo.
Uso abusivo: ai começam os problemas! Aqui o consumo de drogas já está associado a problemas: quando consome cocaína sempre fica deprimida, mas mesmo assim, continua a usar a droga. Ele ou ela percebe que a droga não está fazendo bem algum (nem mesmo sendo prazeroso), de que não há nenhum sentido em usar esta droga mas ela começa a não saber mais se divertir, ser ela mesma sem a drogas.
Dependência: é o uso intenso e descontrolado de qualquer droga. A pessoa sente um forte desejo (muitas vezes irresistível) de utilizar diariamente a substância. Tal situação traz riscos para a saúde e para a vida do dependente.
Não é toda pessoa que experimenta ou usa uma droga que se tornará um dependente químico. Por outro lado, todo dependente um dia experimentou a droga. O grande problema é que não dá para saber com antecedência quem irá se tornar um dependente. De qualquer modo, não existe um uso seguro de álcool e outras drogas, pois até mesmo um uso experimental pode trazer prejuízos à saúde e a vida da pessoa. Ninguém torna-se dependente de drogas de uma hora para outra. Isso pode demorar um tempo. Não pense que por isso você sempre poderá ter controle da situação, ou seja, perceber quando a coisa tá começando a pegar.
Bebo todo final de semana. Eu sou alcoólatra?
O que faz alguém se tornar um dependente de álcool não é a quantidade de álcool ingerida nos finais de semanas nem o número de doses bebidas. Em vez de traçar um perfil definitivo de "ser ou não ser" dependente do álcool vale mais a pena pensar sobre quais são as expectativas da pessoa ao fazer um uso abusivo de álcool: por que ela bebe todo final de semana? Considerando que o álcool é uma droga liberada e que pode ser comprada em qualquer lugar o uso freqüente e abusivo torna-se comum. Para aqueles que desejam beber é importante evitar o uso diário, as grandes quantidades e o consumo com o objetivo de enfrentar problemas da vida, além de procurar não se expor a situações de risco após o consumo.

Tem algo de errado em não querer usar drogas?
Não há nada de errado com você. Consumir ou deixar de consumir drogas são escolhas pessoais que não devem ser julgadas ou tomadas como valores morais. Dizer que os que usam são ‘drogados’ e os que não usam ‘caretas’ deixa a discussão sobre este assunto recheada de preconceitos e superificial. Saber conviver com as diferenças nos aproxima do outro e de nós mesmos.

Todos meus amigos usam drogas. Como fazer para não me sentir excluída do grupo?
Antes de tudo: não é por que todo mundo usa drogas que você vai usar. No início seus amigos podem achar você meio boba ou careta por não usar. O importante é você não se achar assim: acredite em você, no seu jeito de ser e nas suas qualidades. Você não é melhor ou prior do que eles por usar ou não uma droga. Melhores, estes sim, são aqueles que sabem conviver com as diferenças.

As drogas deixam as pessoas mais violentas?
Apenas o uso de drogas não faz a pessoa se tornar mais violenta. O que acontece na maioria das vezes é que sob o efeito da drogas a pessoa liberar comportamentos agressivos que normalmente ela controla. É como se houvesse uma censura, um auto-controle, uma porta fechada para esse comportamento agressivo. A droga vem e abre essa porta. Além disso, em função dos efeitos que a droga provoca na pessoa, ela pode envolver-se com mais facilidade em brigas porque fica mais impulsiva e menos critica (superestimando sua habiliade e subestimando o outro), ou seja, tem dificuldade para avaliar as situações com clareza e bom senso.

Devo ter medo de usar drogas?
Há vários motivos para se preocupar em usar drogas:
1. Você pode gostar, achar bom e passar a usar sempre podendo tornar-se dependente ( e com isso passar a ter problemas com as drogas).
2. Você pode estar passando por um momento difícil na sua vida. Usar drogas resolve? Claro que não! Você irá apenas botar uma mascara e o problema vai continuar e incomodar, ou seja, te fazer cada vez mais mal.
3. Dependendo de como você está, algumas drogas podem fazer você sentir coisas que não são nem um pouco gostosas: achar que o coração vai parar, que você não está respirando, ou que todo mundo te quer mal. Tenha cuidado. Se você decidir experimentar ou usar uma droga saiba muito bem quais são os efeitos que ela pode causar no corpo e na cabeça das pessoas.
4. Usar drogas faz a pessoa se colocar em situações de risco. Algumas drogas podem levar você a ter uma overdose podendo até levar a morte. Dirigir após usar uma droga, beber demais ou fumar maconha, até por uma única vez, pode provocar um acidente grave ou fatal para você ou outras pessoas.

Quais os danos para o bebê se a mãe usar drogas na gravidez?
Apesar de haver relatos defeitos causados no feto durante o seu desenvolvimento com todas as drogas, apenas o álcool possui uma síndrome bem estabelecida, chamada de Síndrome Alcoólica Fetal Outras drogas como a maconha, a cocaína, os inalantes e o cigarro alteram principalmente o crescimento do bebê e podem provocar distúrbios cognitivos (por exemplo, dificuldades de concentração e aprendizagem).

O ecstasy e as anfetaminas têm a capacidade de contrair os vasos sanguíneos. Isso dificulta a chegada do sangue aos diversos órgãos do corpo da mãe. A chegada do sangue à placenta fica prejudicada. Isto pode ser um problema pois a placenta retira o oxigênio e os nutrientes do sangue da mãe e os passa para o sangue do bebê. As conseqüências disso são as seguintes:
1. A placenta pode não resistir à redução de sangue e descolar da parede do útero. Isso causaria abortamento, ou, se a gravidez já estiver quase no fim, parto prematuro. 
2. Os estimulantes causam contração do útero. Desse modo abortamento ou parto prematuro poderiam acontecer. 
3. Se o bebê ficar muitos meses recebendo menos oxigênio e nutrientes do que deveria, seu desenvolvimento poderá ficar comprometido. Poderá nascer com baixo peso e com deficiências no desenvolvimento cerebral. 
4. As drogas também atravessam a placenta e agem no cérebro do bebê. O cérebro do bebê ainda está em formação e sofre muito mais intensamente a ação dessas drogas. Isso pode gerar uma criança mais irritadiça, chorona, impulsiva, com dificuldades para a aprendizagem e socialização com outras crianças.

As complicações 1, 2 e 4 podem acontecer de modo agudo, isto é, usar uma vez apenas pode desencadear a perda da gravidez. Já a opção 3 acontece em mulheres que usam essas drogas direto. A melhor coisa é a pessoa procurar seu ginecologista de confiança, para uma avaliação. Muitas mulheres preferem não abrir para seus ginecologistas seu uso de drogas, com medo de serem repreendidas. Isso só piora a situação e uma ajuda importante é deixada de lado.

Nenhum comentário:

POSTS MAIS ANTIGOS

CADASTRE SEU E-MAIL