POR QUE O PORTAL ??

Este Blog retrata a difícil convivência com alguém que optou pelo caminho errado em busca do prazer da droga. Sofri sentindo os efeitos de uma doença tão perigosa quanto à dependência química: a Co-Dependência. Passei por muitos sofrimentos e vitórias. Por experiência própria vivida, sei exatamente quais os traços de comportamento, sinais da abstinência, como identificar um adicto por ter convivido tão de perto com este problema . Espero com isso poder levar ajuda a muita gente, transmitindo mais e mais informações sobre este assunto que em minha opinião é tão pouco divulgado.

NOVIDADE:


No menu acima acesse : "PROFISSIONAIS EM DEP. QUÍMICA" e tenha acesso a várias especialidades com todos seus contatos

"Saiba reconhecer alguns sinais do uso de drogas" - Rádio Estadão AM1290 - com Fabíola Pece

quinta-feira

O PREÇO DE SER AGRADADOR


O comportamento de “ser bonzinho” ou agradador, tem um “preço” tanto para a pessoa que o é, quanto para as pessoas que estão a relacionar-se com ela. Causa isolamento, hostilidade indireta e autodestruição.
Isto acontece porque:

O agradador tende a criar uma atmosfera tal, que os outros evitam de lhe dar feedback honesto, sincero e isto bloqueia o equilíbrio emocional.

O comportamento “bonzinho” acabará trazendo desconfiança dos outros, isto é, gera uma sensação de incerteza e falta de confiança nos outros que, por sua vez, nunca têm certeza se serão apoiados pelo “bonzinho”, em uma situação de crise que exija um confronto direto com outros.

 Pessoas agradadoras impedem o crescimento de outras. Evitam dizer coisas sinceramente e não dão hipótese de que os outros sejam afirmativos como uma pessoa real, que busca seus direitos. Isto acaba por forçar aqueles com quem se relaciona a voltar sua agressão contra si próprios.


Devido à sua “bondade” crônica, nunca se sabe se o relacionamento com uma pessoa agradadora vai suportar um conflito ou um confronto irado, caso este aconteça espontaneamente. Isto coloca limites no potencial de intimidade do relacionamento, pois coloca as pessoas todo o tempo na defensiva.


Não se pode confiar no comportamento agradador. A pessoa “boazinha”, de vez em quando, explode numa raiva inesperada e aqueles que estão envolvidos ficam chocados e despreparados para lidar com isso.


O agradador, por estar a conter a agressão dentro de si, pode pagar um preço fisiológico (ter problemas físicos) e/ou psicológico (isola-se).


O comportamento agradador é um comportamento irreal emocionalmente. Coloca muitos limites em todos os relacionamentos e ao fim, o agradador coloca-se como vítima.

Nenhum comentário:

POSTS MAIS ANTIGOS

CADASTRE SEU E-MAIL