POR QUE O PORTAL ??

Este Blog retrata a difícil convivência com alguém que optou pelo caminho errado em busca do prazer da droga. Sofri sentindo os efeitos de uma doença tão perigosa quanto à dependência química: a Co-Dependência. Passei por muitos sofrimentos e vitórias. Por experiência própria vivida, sei exatamente quais os traços de comportamento, sinais da abstinência, como identificar um adicto por ter convivido tão de perto com este problema . Espero com isso poder levar ajuda a muita gente, transmitindo mais e mais informações sobre este assunto que em minha opinião é tão pouco divulgado.

NOVIDADE: DEPOIMENTO

O PORTAL ESTÁ COM UM NOVO COLUNISTA COLABORADOR- "UM ADICTO EM RECUPERAÇÃO" RELATANDO SEU SOFRIMENTO EM NÃO ACEITAR A SUA ADICÇÃO E A RECUPERAÇÃO QUE VIVE HOJE .(postagens com fundo azul escuro)

"Saiba reconhecer alguns sinais do uso de drogas" - Rádio Estadão AM1290 - com Fabíola Pece

sexta-feira

Verdadeiro sentido da recuperação

Muita gente pensa que a recuperação é apenas uma questão de não usar drogas. Mas vai muito além disso.
Geralmente consideram a recaída como um sinal de fracasso completo e os longos períodos de abstinência, um sucesso total.


Para Narcóticos Anônimos , essa idéia é demasiadamente simplista. 
Depois de um membro ter tido algum envolvimento com a Irmandade, uma recaída pode ser uma experiência impressionante e provocar uma aplicação mais rigorosa do programa. 
Da mesma forma observa-se alguns membros que se mantêm abstinentes durante longos períodos, mas cuja desonestidade e auto‐engano os impedem de desfrutar completamente a recuperação e a aceitação na  sociedade. A melhor  base para  o  crescimento, no  entanto,  ainda  é  a  completa e contínua abstinência, o trabalho conjunto e a identificação com outros adictos nas reuniões de NA. 
Embora todos os adictos sejam basicamente do mesmo tipo, o grau da doença e o ritmo 
da recuperação diferem de indivíduo para indivíduo. Às vezes uma recaída pode 
estabelecer a base para uma completa liberdade. Outras vezes só é possível alcançar 
essa liberdade através de uma vontade inflexível e obstinada de ficar limpo, aconteça 
o que acontecer, até passar a crise. Um adicto que por qualquer meio consegue superar 
pelo menos por um tempo a necessidade ou o desejo de usar drogas, tem livre escolha 
sobre seus pensamentos impulsivos e ações compulsivas. 
Atingiu um ponto que pode ser decisivo para a sua recuperação. Às vezes esse é o 
ponto crítico da sensação de verdadeira independência e liberdade. A possibilidade 
de sairmos do programa e de voltarmos a controlar nossas próprias vidas é algo que 
nos atrai, mas parece que sabemos que o que temos hoje é resultado da fé num Poder 
Superior a nós mesmos e do fato de darmos e recebermos ajuda por empatia. Muitas vezes 
em nossa recuperação os velhos fantasmas ainda nos perseguem. A vida pode voltar a 
ser monótona, aborrecida e sem sentido. Podemos nos cansar 
mentalmente de repetir  nossas  novas  idéias,  e podemos  nos  cansar fisicamente  
com nossas novas  atividades, mas  sabemos que  se não  as repetirmos  certamente 
voltaremos  aos nossos  velhos  hábitos.  Se  não  praticarmos  o  que  aprendemos  
provavelmente  perderemos. 
Freqüentemente essas ocasiões são os períodos de maior crescimento para nós. Nossas 
mentes e corpos parecem cansados de tudo. Mesmo assim, as forças dinâmicas da mudança, 
bem dentro de nós, podem estar agindo para nos dar as respostas 
que alteram nossas motivações internas e mudam nossas vidas. 
A nossa meta é a recuperação através da vivência dos Doze Passos, não a mera 
abstinência física. Nosso crescimento exige esforço, e como não há maneira de se 
incutir uma idéia nova numa mente fechada, tem que haver uma abertura. Como só nós 
mesmos podemos fazer isso, precisamos reconhecer dois dos nossos inimigos inerentes:  
a apatia e a procrastinação. Nossa resistência  à mudança parece  arraigada  e  
somente uma  explosão nuclear provocará  alguma mudança,  ou  iniciará  um  novo  
curso  de  ação.  Se  sobrevivermos  a  ela,  a  recaída  poderá 
representar o detonador do processo de demolição. Uma recaída, ou às vezes a morte 
de algum conhecido, pode nos despertar a necessidade de uma vigorosa ação
pessoal.

Um comentário:

Henrique Souza disse...

Bom dia! Achei sensacional as postagens do Blog de vocês. Parabéns mesmo pela ação, pois tudo que for em prol a não utilização de Droga é bem aceito.

Visite o site da Missão Reviver, fazemos um trabalho bem bacana também:

www.missaoreviver.com.br

POSTS MAIS ANTIGOS

CADASTRE SEU E-MAIL