POR QUE O PORTAL ??

Este Blog retrata a difícil convivência com alguém que optou pelo caminho errado em busca do prazer da droga. Sofri sentindo os efeitos de uma doença tão perigosa quanto à dependência química: a Co-Dependência. Passei por muitos sofrimentos e vitórias. Por experiência própria vivida, sei exatamente quais os traços de comportamento, sinais da abstinência, como identificar um adicto por ter convivido tão de perto com este problema . Espero com isso poder levar ajuda a muita gente, transmitindo mais e mais informações sobre este assunto que em minha opinião é tão pouco divulgado.

NOVIDADE:


No menu acima acesse : "PROFISSIONAIS EM DEP. QUÍMICA" e tenha acesso a várias especialidades com todos seus contatos

"Saiba reconhecer alguns sinais do uso de drogas" - Rádio Estadão AM1290 - com Fabíola Pece

segunda-feira

Violência x Drogas

As estatísticas denunciam: o uso de drogas e a criminalidade estão cada vez mais próximos. Dados do Programa Ação pela Vida, da Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF), obtidos com exclusividade pelo Jornal de Brasília, revelam a relação direta entre o número de homicídios e o uso de entorpecentes.
De acordo com o levantamento, 64% das vítimas de homicídio faziam uso ou estavam sob efeito de drogas, sendo esse o fator principal dos casos de mortes violentas no DF.
  O estudo faz parte do relatório de Exames Toxicológicos do Instituto Médico Legal (IML), e reuniu 188 casos de assassinatos ocorridos até março deste ano.  Os dados serão usados pelo plano, que tem como um de seus eixos o enfrentamento ao uso e ao tráfico de drogas, por meio da integração das forças policiais.
Entre os casos de assassinatos, 65%   estavam relacionados a crimes como roubos, furtos, o uso de drogas, homicídios, ameaça e lesão corporal. "Esse estudo serve como uma base sólida para comprovar que o grupo de risco de pessoas comprometidas com o crime está sendo vítima  de homicídio. Em quase 100% dos casos, vítima e autor possuem um perfil muito semelhante. Ambos com passagens pela polícia, quase sempre por crimes vinculados ao consumo e tráfico de drogas”, afirma o secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar.
As vítimas com antecedentes criminais relacionados a roubo são a maioria (21,4%), seguidas por furtos (13,8%) e uso de entorpecentes (10,6%). Para o secretário Sandro Avelar, a ligação das vítimas com o crime é o principal motivo de homicídios, o que reduz muito a chance de quem não está ligado a ele ser alvo da violência.
 “No Distrito Federal, a incidência de vítimas de morte violenta sem envolvimento com o crime é muito pequena. Atualmente, as forças de segurança trabalham para reduzir o índice de homicídio entre esse grupo de risco, apesar da dificuldade em prevenir tais crimes, principalmente em decorrência do estilo de vida dessas pessoas", constata Avelar.
 Segundo exames toxicológicos apresentados pelo IML, 63% dos examinados haviam usado cocaína e maconha. Logo depois vem o uso de derivados da cocaína (crack e merla) associados à maconha. Em 36% dos casos, o resultado foi negativo para o uso de alguma dessas substâncias.
 O Governo do Distrito Federal anunciou ontem a inauguração, em junho, de cinco Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps), que funcionarão 24 horas em conjunto com cinco  unidades de Acolhimento. Os Caps funcionarão 24 horas e irão beneficiar moradores do Paranoá, Itapoã, Varjão, Santa Maria e Planaltina. A ação faz parte do Plano Distrital de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas. A medida foi antecipada pelo Jornal de Brasília no último dia 10, quando a reportagem mostrou que não há espaços para acolher os dependentes químicos do DF.
Nas unidades de acolhimento, será possível acomodar 20 crianças e adolescentes e 45 adultos, que receberão tratamento durante seis meses. Hoje, o DF abriga seis - em Ceilândia, Taguatinga, Samambaia, Asa Sul e Norte e na Rodoviária do Plano Piloto - dos 27 Caps em funcionamento no País.
 As seis unidades de Saúde Mental em funcionamento voltadas à atenção a usuários de álcool e outras drogas totalizaram 21.570 procedimentos no último trimestre, com 6.974 deles voltados a menores de 18 anos. Cerca de 250 voluntários fizeram o curso de multiplicadores da política do GDF e atuaram na abordagem de 2.5 mil moradores de rua - 46% eram usuários de drogas lícitas e ilícitas e menos de 5% consumiam crack.



Nenhum comentário:

POSTS MAIS ANTIGOS

CADASTRE SEU E-MAIL