POR QUE O PORTAL ??

Este Blog retrata a difícil convivência com alguém que optou pelo caminho errado em busca do prazer da droga. Sofri sentindo os efeitos de uma doença tão perigosa quanto à dependência química: a Co-Dependência. Passei por muitos sofrimentos e vitórias. Por experiência própria vivida, sei exatamente quais os traços de comportamento, sinais da abstinência, como identificar um adicto por ter convivido tão de perto com este problema . Espero com isso poder levar ajuda a muita gente, transmitindo mais e mais informações sobre este assunto que em minha opinião é tão pouco divulgado.

NOVIDADE:


No menu acima acesse : "PROFISSIONAIS EM DEP. QUÍMICA" e tenha acesso a várias especialidades com todos seus contatos

"Saiba reconhecer alguns sinais do uso de drogas" - Rádio Estadão AM1290 - com Fabíola Pece

sexta-feira

DEPENDÊNCIA COMEÇA NO BERÇO

O crescente consumo de drogas (e suas terríveis conseqüências) tornou-se um dos problemas mais graves da nossa civilização contemporânea. A cada dia que passa, aumenta assustadoramente o número de pessoas que delas se tornam dependentes e que são por elas lentamente destruídas. 


A palavra "drogas" desencadeia uma infinidade de associações, além de englobar uma enorme classe de produtos capazes de alterar o estado de consciência e de provocar dependência física e psíquica naqueles que dela se utilizam. Muitos são os fatores que levam à dependência, fatores culturais onde o indivíduo é valorizado pelo que tem e não pelo que é, pois vivemos numa cultura capitalista, consumista, onde o "descartável" se faz presente. No dia a dia, tudo se torna descartável: as relações, os compromissos, há uma ausência de responsabilidades. O caráter está deteriorado. E aí vem a responsabilidade da grande formadora ou deformadora das personalidades: a família.

Certos valores são desenvolvidos na família e, se isso não acontecer, ficará o vazio daquilo que não foi desenvolvido (vazio que poderá ser preenchido com a droga).

Sabemos o valor do carinho e do afeto para o desenvolvimento de uma personalidade saudável, integrada. Mas o valor do "não", dos limites tem a mesma importância do afeto. Quando os pais não têm com os filhos uma relação afetiva adequada, onde falta a presença, não só física, mas de entrega para esta relação sagrada e essencial, onde o filho não se sente amado de forma incondicional, sendo do jeito que é, compromete-se o desenvolvimento da auto-estima. Sem a auto-estima haverá um indivíduo inseguro, muitas vezes complexado (se diz tímido), que pode precisar de uma substância que lhe dê uma certa "coragem", segurança, bom humor, etc.

Este é o dependente em potencial. Então acredito que na família que está a possibilidade de se desenvolver uma personalidade sadia, integrada onde as pessoas consigam se compreender e se aceitar com suas capacidades e limitações, sem precisar de nenhuma substância que lhe altere o humor, que lhe dê uma falsa coragem e segurança, que se auto afirmem naquilo que são. 

Nenhum comentário:

POSTS MAIS ANTIGOS

CADASTRE SEU E-MAIL