POR QUE O PORTAL ??

Este Blog retrata a difícil convivência com alguém que optou pelo caminho errado em busca do prazer da droga. Sofri sentindo os efeitos de uma doença tão perigosa quanto à dependência química: a Co-Dependência. Passei por muitos sofrimentos e vitórias. Por experiência própria vivida, sei exatamente quais os traços de comportamento, sinais da abstinência, como identificar um adicto por ter convivido tão de perto com este problema . Espero com isso poder levar ajuda a muita gente, transmitindo mais e mais informações sobre este assunto que em minha opinião é tão pouco divulgado.

NOVIDADE: DEPOIMENTO

O PORTAL ESTÁ COM UM NOVO COLUNISTA COLABORADOR- "UM ADICTO EM RECUPERAÇÃO" RELATANDO SEU SOFRIMENTO EM NÃO ACEITAR A SUA ADICÇÃO E A RECUPERAÇÃO QUE VIVE HOJE .(postagens com fundo azul escuro)

"Saiba reconhecer alguns sinais do uso de drogas" - Rádio Estadão AM1290 - com Fabíola Pece

segunda-feira

RECOMENDAÇÕES BÁSICAS DE AUXILIO A UM DEPENDENTE QUÍMICO E TAMBÉM AOS SEUS FAMILIARES

Infelizmente muitas pessoas ainda desconhecem sobre a doença chamada dependência química, então se faz necessário que divuguemos algumas recomendações básicas de auxílio aos dependentes e que possamos ser um instrumento de auxílio, uma luz no final de um túnel para situações como estas, para um problema enraizado na sociedade, atualmente uma pandemia, mas não podemos ficar de braços cruzados esperando o tempo passar, podemos fazer alguma coisa, mesmo que de pequena dimensão, mas que cresce dia a dia quando se associa a outras pessoas voltadas para o bem comum, para o bem maior da humanidade.

DEPENDENTE QUÍMICO

1-       NECESSÁRIO QUE O DEPENDENTE ASSUMA QUE ESTÁ DOENTE E QUE NCESSITA DE AJUDA:
Uma das fases da doença dependência química é a negação, fase em o dependente químico é como se estivesse em “lua de mel com a droga”, só pensa nela e não consegue viver sem ela”. Segundo a psicologia, nós temos o mecanismo de negação que nega a existência do problema e se posiciona que possui domínio da situação, quando tal informação não expressa a realidade, e na grande maioria dos casos, o dependente químico só pede ajuda e socorro quando já está na fase mais avançada da doença, o “fundo do poço”, fase do dependente que não consegue mais controlar a compulsão, e seus laços familiares estão comprometidos, poucos amigos, vive num estado de isolamento social, grandes alterações comportamentais, tendo alguns problemas de saúde, às vezes problemas com a justiça, familiares em desespero e sem saber o que fazer. E a “fase da separação da droga”, é geralmente esta, o “fundo do poço”, muitos dependentes químicos nesta situação admitem a doença e pedem socorro, e é exatamente neste momento que encaminhamos para uma ajuda especializada

2-       APOIO FAMILIAR:
Imprescindível o apoio da família, não discriminar ou julgar de forma agressiva e até violenta, como ocorre em algumas situações, o dependente do álcool e de outras drogas é um doente, não têm controle sobre sua compulsividade. Quando início do consumo de drogas, a busca era pelo prazer, pressão de grupo, e com o passar dos anos, a busca da droga somada à dependência química se dá por não ter mais o controle sobre a droga, a dependência à droga, os sintomas que sente por ficar sem ela durante um determinado período de tempo, crises de abstinência, podem levar o dependente a consumir a droga novamente. Então observa-se a necessidade da família na recuperação do doente.
O dependente do álcool ou outra droga, querendo ajuda, cabe aos familiares encaminhá-lo a um tratamento médico especializado. Quem é o médico, qual é a especialidade que trata de dependência química? Onde levá-lo? O médico é o psiquiatra, nas Unidades de Saúde que possuem médicos psiquiatras, estes tratam do dependente, e não tendo o tratamento fazem o encaminhamento. Recentemente criaram-se as Unidades de Saúde especializadas que são chamadas CAPs AD – Centros de Atenção Psicossocial de Álcool e outras Drogas, são Unidades de Saúde Públicas Municipais que tratam gratuitamente dos dependentes, mas não internam, são tratamentos ambulatoriais com retorno semanal, em casos de internação, eles orientam e indicam as instituições para tal.

3-       DETERMINAÇÃO – DECISÃO:
É necessário que o dependente químico acredite em si mesmo, que creia ser capaz de vencer esta doença, tenha fé, convicção, determinação em mudar o quadro, em vencer esta doença. Não adianta toda uma equipe multidisciplinar composta por diversos especialistas, se o dependente não quiser ser ajudado, se negar ao auxílio e não acreditar que é capaz. É necessário que ele creia em si mesmo, que acredite no seu potencial e seja capaz de vencer a si mesmo todos os dias. A cura para está doença é o CONTROLE, podemos, por exemplo, controlar a hipertenção, o diabetes ou outra doença crônica, seguindo as orientações médicas e fazendo a nossa parte com relação aos aspectos preventivos, e pode ser que não venhamos a ter problemas com estas doenças que ficam sob controle. Da mesma forma, quando a doença dependência química se instala no Indivíduo, ela ficará com ele, em estado latente, sob controle, para tanto deverá ser abstinente total do uso da droga e vencer-se a si mesmo todos os dias. E sua fé, sua crença, sua determinação o manterá em estado de sobriedade, mas este processo é construído pelo indivíduo, através da sua força interior, através das companhias que o reforçam para o lado bom da vida, através de estratégias que o motivem, que o coloquem para cima, até chegar a fase do domínio de situação, que alia-se à mudança de seu comportamento, mudança de suas amizades, mudanças dos ambientes que freqüentava, enfim, dá um outro rumo para sua vida.

4-       MUDANÇA DE COMPORTAMENTO:
Fator primordial para a obtenção da cura, ou seja, do controle da doença, pois a mesma desencadeou-se pelo processo de hábitos inadequados, acompanhados fatores de ordem psicológica, fatores sociais, ou seja, amizades, ambientes que freqüentava, enfim, fatores colaboradores para o desenvolvimento da doença. E para reversão do quadro, faz-se necessário substituir estes comportamentos inadequados, substituir as amizades que o levavam ao uso das drogas, deixar de freqüentar os ambientes propícios, enfim, promover mudança comportamental, que requer um esforço e conscientização do dependente, pois mesmo que sob tratamento especializado e apoio familiar, manter-se nos mesmos moldes anteriores de amizades, ambientes, e estilo de vida, isto o levará a recair, então mudar o comportamento, gerará mudança de hábitos para hábitos saudáveis, amizades saudáveis.

5-       AJUDA MÉDICA ESPECIALIZADA:
Nem sempre o dependente químico conseguirá por si só vender esta doença, faz-se necessário buscar ajuda especializada. Onde encontrar está ajuda? Quem é o médico especialista? O médico especialista é o psiquiatra, onde houver médico psiquiatra nas Unidas de Saúde há tratamento para dependentes químicos, e se não houver, o médico da Unidade irá encaminhar para a Unidade especializada. Atualmente criaram-se os CAPs AD que são Centros de Atenção Psicossocial de Álcool e outras Drogas, Unidades da Saúde que fornecem tratamento especializado aos dependentes do álcool e outras drogas. Os atendimentos são realizados por equipe especializada, e com retorno semanal, e tem surtido efeitos positivos na saúde dos dependentes, desde que sigam as orientações e tratamento.

6-       EVITAR A OCIOSIDADE:
“Mente desocupada é oficina do diabo”, ou seja, ficar, permanecer desocupado o dia inteiro facilita a manutenção da dependência, manter-se ocupado com atividades saudáveis é uma laborterapia, promove reforço ao tratamento, auxilia na elevação da auto-estima, fortalece o paciente a recuperar-se do seu quadro.

7-       RELIGIÃO – ESPIRITUALIDADE:
Fundamental possuir uma crença, uma fé, fazer parte de algum segmento religioso. Notadamente as religiões possuem por missão auxiliar seus fiéis a melhorarem-se como seres humanos, a fortalecer os aspectos morais, religiosos, aos bons costumes, são contrárias a qualquer tipo de vícios, dependência química, seja com relação ao consumo de álcool e outras drogas, promovem encontros, discussões com jovens e com o público sobre estas substâncias, reforçam os valores morais, familiares, o respeito ao próximo, enfim, atuam como fator de proteção, propiciando ambiente e amizades saudáveis, e além disso, para muitos dos seus fiéis ou seguidores, quando no enfrentamento de alguma crise, problema de relacionamento, um problema inesperado, doença, ou qualquer outra irregularidade ou situação indutora à frustração, a fé, a religião, acaba se tornando a “válvula de escape”, em vez da droga, onde muitos acabam indo buscar através do álcool e outras drogas o alívio de suas dores e frustrações, ou problemas mau resolvidos.

8-       SER VOLUNTÁRIO
Ser voluntário, fazer parte de alguma instituição para doar-se ao próximo, uma vez por semana ou dentro da disponibilidade de cada um, promover o auxílio a pessoas necessitadas, ou até mesmo ser voluntário no grupo de recuperação no qual realiza e participa das reuniões de apoio, isto auxilia e muito o dependente a resgatar e aumentar sua auto-estima, pois geralmente o dependente químico possui uma baixa auto-estima, e desenvolver ações em prol do próximo aumenta sua auto-estima, deparar-se com pessoas com dificuldades maiores que as nossas, ou problemas mais complexos leva-nos a refletir que não somos as maiores vítimas, que somos importantes para alguém e podemos auxiliar, então estas ações fortalecem o dependente em recuperação, que se vê útil e ocupa seu tempo de forma sadia e proveitosa.

      9-   A MANUTENÇÃO DO TRATAMENTO É CONTÍNUA, PERMANENTE:
Após uma internação ou tratamento ambulatorial, seja qual for a modalidade seguida pelo dependente, não sofre perda da continuidade, ela é permanente, pois como já mencionado anteriormente a doença sempre estará no corpo do indivíduo, mas estacionada, em estado latente, e não pode ser acordada, então é necessário realizar a manutenção, o depois requer cuidados constantes. Fazer parte de um grupo de recuperação para assistir reuniões de apoio, fazer parte do grupo é fundamental para que o dependente em recuperação se fortaleça e busque seu autodomínio, pois nem sempre após um trata mento o dependente tem domínio de si, dos seus desejos, então será nestes tipos de reuniões que ele reunirá forças para resistir às drogas.

10-    AUTO-VIGILÂNCIA CONSTANTE:
Observar-se constantemente é importante, sempre se policiando para não cair em tentação, é um grande desafio para o dependente que em fração de segundos pode por tudo a perder.

11-   AFASTAR-SE DE ANTIGAS AMIZADES E AMBIENTES:
Devido aos problemas já instalados é necessário afastar-se das antigas amizades, afastar-se de pessoas que realizam o uso de drogas, afastar-se dos ambientes propiciadores ao consumo de drogas, para não se deixar contaminar.

12-   LEITURAS EDIFICANTES:
A leitura edificante de livros que elevem a auto-estima é importante para fortalecer os aspectos religiosos e morais, e a decisão assumida do próprio dependente em se recuperar.

E também importante: “TER E EXERCITAR SUA FÉ INTERIOR”

Nenhum comentário:

POSTS MAIS ANTIGOS

CADASTRE SEU E-MAIL