POR QUE O PORTAL ??

Este Blog retrata a difícil convivência com alguém que optou pelo caminho errado em busca do prazer da droga. Sofri sentindo os efeitos de uma doença tão perigosa quanto à dependência química: a Co-Dependência. Passei por muitos sofrimentos e vitórias. Por experiência própria vivida, sei exatamente quais os traços de comportamento, sinais da abstinência, como identificar um adicto por ter convivido tão de perto com este problema . Espero com isso poder levar ajuda a muita gente, transmitindo mais e mais informações sobre este assunto que em minha opinião é tão pouco divulgado.

NOVIDADE: DEPOIMENTO

O PORTAL ESTÁ COM UM NOVO COLUNISTA COLABORADOR- "UM ADICTO EM RECUPERAÇÃO" RELATANDO SEU SOFRIMENTO EM NÃO ACEITAR A SUA ADICÇÃO E A RECUPERAÇÃO QUE VIVE HOJE .(postagens com fundo azul escuro)

"Saiba reconhecer alguns sinais do uso de drogas" - Rádio Estadão AM1290 - com Fabíola Pece

sexta-feira

FATORES QUE LEVAM AO USO DE DROGAS

A família tem um papel fundamental no desenvolvimento do ser humano, ela é a sua primeira referência, é a mediadora entre o indivíduo e a sociedade, porém existem outras condições prexistentes que podem influenciar o desenvolvimento psicológico, físico e social do indivíduo, determinando o seu comportamento frente ao consumo ou não das drogas.

Segundo Formigone (1997), algumas culturas seguem rituais estabelecidos de onde, quando e como beber, tendo essas menores taxas de uso abusivo de álcool, quando comparadas com aquelas que simplesmente proibem o uso. Assim, é aceito que a cultura se constitui como um importante fator deteminante na proporção de alcoolistas/álcoolotras.
Além disso, alguns fatores de risco ou de proteção podem contribuir para o uso de álcool e outras drogas na comunidade. A SENAD aponta vários exemplos desses fatores de risco e de proteção para o uso de álcool e outras drogas no domínio comunitário, como podemos apreender no quadro abaixo:

FATORES DE RISCO
FATORES DE PROTEÇÃO
Falta de oportunidades socioeconômicas para a construção de um projeto de vida.
Existência de oportunidades de estudo, trabalho, lazer e de inserção social que possibilitem ao indivíduo concretizar seu projeto de vida.
Fácil acesso as drogas lícitas e ilícitas.
Controle efetivo do comércio de drogas legais e ilegais.
Permissividade em relação a algumas drogas.
Reconhecimento e valorização, por parte da comunidade, de normas e leis que regulam o uso de drogas.
Inexistência de incentivos para que o jovem se envolva em serviços comunitários.
Incentivos ao envolvimento dos jovens em serviços comunitários.
Negligência no cumprimento de normas e leis que regulam o uso de drogas.
Realização de campanhas e ações que ajudem o cumprimento da normas e leis que regulam o uso de drogas.

Diante desse quadro é importante  não perder de vista os detalhes sociocultuais do uso de drogas para compreender e identificar as caracterisitcas dos usuários, para melhor adotar sistemas de prevenção e combate.
Cada grupo social, cada povo, cada pessoa, tem em sua cultura padrões de comportamento de acordo as diferentes formas de estimulos, produzidos em seu meio ou fora dele, por exemplo, em nosso país, com tantas manifestações culturais, não podemos pensar em São João sem quentão, Natal sem vinho, carnaval sem cerveja e assim sucessivamente. Isso faz parte da cultura brasileira. Então é contraditório tentar combater o que na maioria das vezes é incentivado pelo grupo  social, pela mídia, pela cultura comunitária, etc.
Um dos grandes problemas sociais frente ao uso de bebidas álcoolicas e outras dorgas é marcado pela contradição do lícito e do ilícito (LORENCINI, 1998, p.35). A mídia acompanha essas contradições. A população recebe através dos meios de comunicação muitas informações sobre a violência relacionada ao tráfico de drogas, porém, por outro lado a mesma tem sido estimulada ao consumo de bebidas álcoolicas pela propaganda.
Sem dúvida a droga é um problema social de grande repercussão local, nacional e porque não dizer internacional.
O nosso mundo está uma droga. A nossa sociedade é uma sociedade drogada. Somos todos vítimas dessas drogas. Que droga? Essa substância que nós ingerimos para nos dar prazer, tirar dor, fazer sair do mundo, fazer viajar. Buscamos isto na maconha, álcool, cocaína, crack, heroína, cola de sapateiro, cogumelo, tantas drogas que estão aí, as drogas que compramos na farmácia para ajudar a dormir, para ajudar a não dormir etc. São drogas que estão dentro da nossa sociedade. E a pergunta que nos colocamos, hoje, é como viver numa sociedade que não precise de drogas? Ou como viver numa sociedade onde estas drogas estejam sob controle, apenas para remediar situações que não têm outro jeito, senão por alguns meios artificiais.

Essa imagem é bem comum nos lares dos brasileiros, dificilmente se econtra uma família que não possua algum tipo de dependência as mais diversas drogas, no sentido mais amplo da palavra, quer seja ela, bebida álcoolica, anti depressivos, analgésicos, etc.

Nenhum comentário:

POSTS MAIS ANTIGOS

CADASTRE SEU E-MAIL